PolíticaTímido,

Tímido, eleitorado jovem está na mira da Justiça Eleitoral de Niterói

0
Tamanho da fonte: A- A+ 25/03/2012

Parcela de jovens entre 16 e 17 anos representa 0,53% do total de eleitores da cidade, que somados chegam a quase 375 mil, segundo informações do TRE

Considerada tímida, a participação de jovens eleitores nas urnas, entre 16 e 17 anos de idade, que já estão aptos, mas não são obrigados a votar, é estimulada pela Justiça Eleitoral. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), colhidos no último Censo, 12.808 jovens nesta faixa etária vivem em Niterói. E pelas informações do TRE, apenas 1.975 desses jovens possuem título de eleitor na cidade. Ou seja, 15% do total. 

Ainda segundo informações do TRE, essa parcela de jovens só representa 0,53% do total de eleitores de Niterói, que somados chegam a quase 375 mil. Nesse grupo, os jovens de 16 anos representam 0,12% dos eleitores e os de 17 anos, 0,41%. O eleitor tem até o dia 9 de maio para tirar o título pela primeira vez, fazer a transferência do domicílio eleitoral ou atualizar o cadastro junto à Justiça Eleitoral.

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), desembargador Luiz Zveiter, espera que mais jovens se alistem para votar no próximo pleito. Nesta semana, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) lançou uma nova campanha sobre o alistamento dos eleitores. As peças publicitárias também têm mensagens dirigidas aos jovens com 16 e 17 anos de idade, lembrando que nessa idade o voto não é obrigatório, mas é um direito. O Estado do Rio de Janeiro tem o menor índice de jovens alistados nessa faixa etária em todo o país.

“Esperamos que a participação de jovens nas próximas eleições seja efetiva. O voto é o único meio de modificar a situação social. Vivemos hoje em um mundo globalizado, onde os jovens têm rápido acesso às informações, mas eles precisam se conscientizar da importância de participar das eleições. Não podem se desiludir por conta do descrédito de alguns setores, deixando o desânimo se recatar nas urnas”, argumenta o presidente to TRE. 

O estudante Pedro Gabriel Ribeiro, 16 anos, é um dos que acredita que seu voto pode fazer diferença. Eles e seus amigos formam um grupo que promove ações sociais e, por conta do desejo de poder escolher seus governantes, tiraram o título de eleitor assim que estiveram aptos. 

“Sempre tive vontade de votar. Acredito que votando certo temos a chance de mudar um pouco a realidade em que vivemos e melhorar a nossa cidade. Na hora de escolher o político a primeira coisa a se pensar deve ser o histórico dele. Pela internet, por exemplo, dá pra saber se tem ficha limpa”, disse o adolescente. 

O grupo de amigos, integrado ainda por Renan de Souza Oliveira, de 17; Henrique Latini Azevedo, de 16; e Gustavo Bruno Flores, de 17, fez uma lista com os principais problemas que precisam ser solucionados em Niterói: trânsito, saúde e segurança aparecem em primeiro lugar no ranking das dificuldades enfrentadas no município. 

“Com relação à saúde, nós não temos problemas, porque temos plano particular, mas sabemos que quem não tem passa por sérias dificuldades quando precisa de atendimento. Achamos que faltam opções de lazer com segurança para os jovens. A gente paga o aluguel do campo de futebol, mas nossos amigos que moram em comunidades não têm condições, por exemplo. Vamos ver se as propostas dos candidatos incluem essas questões”, completou Renan. 

 


O FLUMINENSE


AVALIE:

 

Enviar para amigo Imprimir

Comente a Notícia

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Grupo O Fluminense. Mensagens que contenham ofensas, acusações e palavrões ou xingamentos não serão publicadas.

Comentários

Esta matéria possui 6 comentário(s)
  1. BRASIL UM PAÍS DE POUCOS - 26/03/2012 - 08:35

    Que tal também reduzir de 18 para 16 anos a maioridade?

  2. Hélisson Fraga Profº em Teoria de Transito - 26/03/2012 - 08:37

    Engraçado, o Desembargador Luis Zveiter diz que já
    iniciou a campanha para esclarecer aos jovens a impor
    tancia do voto: acredito que não falta esclarecimento
    falta sim é vergonha na cara desses políticos que fa-
    zem do Pleito, um cabide de emprego e que emprego! O
    jovem de Niteroi tem sim esclarecimento para votar,só
    não o fazem porque não são obrigados, pobre de nós
    que temos a obrigação, pois se não o fizermos, tere-
    mos nossos direitos cerceados, VIVA A DEMOCRACIA.

  3. CB JULIO 12 BPM - 25/03/2012 - 11:46

    Concordo plenamente com o Presidente do TRE qdo diz: "O voto é o único meio de modificar a situação social". Mas, o jovem precisa saber votar em politicos honestos e comprometidos com a realidade social de nossa cidade.Já está mais do que na hora de fazermos um renovação em nossa camara municipal. Temos que mostrarmos que há pessoas com capacidade de lutar bem estar de Niterói. RENOVAÇÃO JÁ. RENOVAÇÃO JÁ. RENOVAÇÃO JÁ.

  4. CB JULIO 12 BPM - 26/03/2012 - 17:51

    É isso aí Profº Helisson! Com poucas palavras vc disse tudo, que democracia é essa que vivemos? acho que é uma ditadura disfarçada.

  5. Caio - 26/03/2012 - 16:53

    O voto não devia ser obrigado pra ninguém!

    Se somente os interessados em politica votassem, talvez não teríamos essas atrocidades que chamam de políticos no poder!

  6. Andréa Hoffmann - 29/03/2012 - 15:25

    Parabéns aos meus alunos que têm consciência do voto como elemento transformador e que não se deixam influenciar por palavras bonitas e vazias de ações práticas. Discurso sem atitude á só discurso.Chega do "Vamos lá minha gente".
    Estou orgulhosa de vocês!!!!!!!!!!!!!

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.