PolíciaPolícia

Polícia Federal prende quadrilha que atacava carteiros em São Gonçalo

0
Tamanho da fonte: A- A+ Por: Aline Balbino 13/07/2012

Quatro pessoas foram detidas ontem durante operação desencadeada em Itaboraí, São Gonçalo e Maricá. Suspeitos também podem estar envolvidos em roubo de cargas no Rio

 

 

Uma operação desencadeada pela delegacia da Polícia Federal de Niterói prendeu nesta sexta-feira quatro pessoas suspeitas de envolvimento com roubos de carga no Rio e roubo de encomendas dos Correios em São Gonçalo e Niterói. De acordo com o delegado Hylton Vieira Coelho foram expedidos cinco mandados de prisão e quatro foram cumpridos, estando um acusado ainda foragido. Dos quatro presos, dois foram localizados em Itaboraí, um em São Gonçalo e o outro em Inoã, Maricá. 

As investigações começaram há seis meses e a prisão foi feita através de escutas telefônicas, cedidas pela Justiça, para ajudar na prisão que teve êxito após informações dos próprios funcionários dos Correios. Eles informaram à polícia que os assaltos estariam sendo executados por uma loura que agiria num carro modelo Agile, de cor preta, com um adesivo colado no porta-malas. 

A loura seria uma advogada criminalista e teria se envolvido com a quadrilha após aceitar ser advogada de defesa dos criminosos. De acordo com o delegado, agentes penitenciários identificaram que o carro, que pertenceria à advogada, estaria sendo usado nos roubos.

“Eles ligaram uma coisa a outra. A identificação do carro nos roubos e a presença do mesmo na delegacia foi o pontapé para as prisões. O adesivo foi crucial para as investigações”, comentou o delegado.

Com a quadrilha os policiais disseram ter encontrado diversos aparelhos telefônicos, dois notebooks, dois cordões de ouro e carimbos, além de carteiras de trabalho usadas para despistar a polícia.

“Essa quadrilha é antiga e nós já estávamos investigando a ação que ela fazia há seis meses. Esse pessoal estava roubando no município de São Gonçalo sempre. O carro da advogada foi usado por diversas vezes. Ainda não coletamos dados que mostrem quanto de prejuízo já foi dado aos Correios, mas brevemente teremos esses números”, disse o delegado.

Ele informou ainda que os roubos a funcionários dos Correios também ocorriam em Niterói.

“Os roubos se concentravam em São Gonçalo. Contudo, Niterói também sofria com o problema”, afirmou.

Um carteiro que preferiu não se identificar, conta que com a prisão do grupo passará a trabalhar mais tranquilo pelas ruas de São Gonçalo.

“O trabalho agora será feito com mais calma. Estávamos apreensivos com esses assaltos. Vira e mexe a gente é assaltado também por homens em motos. Essa prisão deixará todos mais tranquilos”, comentou.

A assessoria de imprensa dos Correios informou que têm agido em parceria com as autoridades de segurança estadual e federal, tomando medidas de prevenção de riscos, sobretudo no transporte de encomendas. 

Frequentemente são mantidos contatos com os órgãos de segurança pública, informou a assessoria. 

Nas sede da empresa funciona o Núcleo de Repressão a Crimes Postais, órgão da Superintendência da Polícia Federal, com atribuição exclusiva de apurar os delitos postais.

Paralisação – O medo de assaltos obrigou a aproximadamente 70 carteiros a entrarem em greve em Alcântara, São Gonçalo, no último dia 15 de maio. Na ocasião mais de 50 mil cartas e três mil encomendas deixaram de ser entregues aos seus destinatários em quase toda a extensão de São Gonçalo.

 

 


O FLUMINENSE


AVALIE:

 

Enviar para amigo Imprimir

Comente a Notícia

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Grupo O Fluminense. Mensagens que contenham ofensas, acusações e palavrões ou xingamentos não serão publicadas.

Comentários

Esta matéria possui 0 comentário(s)

Nenhum comentário.

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.