PolíciaPolícia

Polícia ‘varre’ o Morro da Coruja para cumprir mandados

5
Tamanho da fonte: A- A+ Por: Daniel Braga 19/07/2012

Operação da Civil e da Core na comunidade de São Gonçalo busca suspeitos de homicídios e tráfico de drogas. Menor é apreendido com pedra de crack e maconha

 

Cerca de 40 policiais da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), da 77ª DP (Icaraí), do Serviço Aéreo e da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil do Estado do Rio  realizaram, na tarde de quinta-feira, a operação “Ave de Rapina”, coordenada pela Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG) para monitorar o local e checar denúncias sobre a presença de traficantes no Morro da Coruja, localizado no bairro de Neves, em São Gonçalo.

A incursão teve, ainda, o objetivo de cumprir, principalmente, seis mandados de prisão contra traficantes de drogas, estando entre esses, o DG - resgatado por comparsas, no início do mês, da sede da 25ª DP (Engenho Novo) -; seu irmão, L.S.F; WB, o Pixote; E.G, vulgo Talarico; M.S, o Gaguinho - suspeito de comandar a venda de entorpecentes na favela -; bem como W.Q, o PQD, acusado de ter participação nas mortes de um policial e um médico, no Fonseca e em Icaraí, em abril deste ano.

“Sabemos que essas pessoas estão nesta comunidade, escondidas. Estamos com várias equipes tentando encontrá-las. Temos informações certas, são indivíduos com participação em vários crimes de homicídio, inclusive em Niterói. O principal alvo não é o DG, apesar de existir hipóteses sobre a presença dele na região”, disse o delegado Wellington Pereira.

De acordo com o delegado, o Morro da Coruja tem apresentado um alto registro de homicídios, sendo ocupado, na atualidade, por integrantes da facção criminosa Comando Vermelho. 

“O tráfico aqui é pesado, pois trata-se de uma das principais comunidades de São Gonçalo. Há a possibilidade, não confirmada, do traficante chefe ter transformado a área em um setor para abrigar bandidos da Favela do Mandela e do Complexo de Manguinhos, localidades da Zona Norte do Rio”, pontuou.

“Vamos intensificar as investigações. Porém, o Comando Vermelho utiliza um tipo de ação que é de apoiar outros traficantes com problemas com a polícia. Quando nos chegou esse dado, fechamos o cerco na Coruja e adjacências. De qualquer forma, para prender o DG são feitas diversas, tal como a deflagrada nessa quarta-feira (18) em lugares de Campo Grande, Zona Oeste da capital”, explicou o delegado.

Na chegada ao local, os policiais chegaram a trocar tiros com bandidos, contudo, não houve registro de mortos nem feridos. Para entrar na favela, a polícia utilizou também um blindado tático. No balanço da operação, um menor foi detido em uma das entradas da comunidade com uma pedra de crack e uma trouxinha de maconha. Novas incursões deverão ser realizadas pela região nos próximos dias.

 


O FLUMINENSE


AVALIE:

 

Enviar para amigo Imprimir

Comente a Notícia

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Grupo O Fluminense. Mensagens que contenham ofensas, acusações e palavrões ou xingamentos não serão publicadas.

Comentários

Esta matéria possui 6 comentário(s)
  1. Quiropterus Noctivagus - 19/07/2012 - 16:52

    Coitadinha da coruja , já dorme tão pouco ...!

  2. Valério Fontenele - 19/07/2012 - 17:11

    Taí mais um espinhoso desafio para o competente Delegado Wellington Vieira Pereira. E o sucesso é garantido, podem crer. Deixou saudades aqui em Itaboraí .

  3. Zé Bolha - 19/07/2012 - 16:15

    Uma operação deste tamanho para prender um menor de idade com uma pedrinha de crack, essa operação teria que ser a noite,a vaga*****gem ta toda na rua!!

  4. Pombo-Giro - 19/07/2012 - 18:13

    Esse morro deve ter algum tipo de maldição : já derrubou pelo menos 2 comandantes de batalhão. Pé-de-pato, olho-de-boi, cruz-credo e mangalô 3 vezes .

  5. revoltado - 19/07/2012 - 18:17

    concordo com ze bolha vai anoite que esta todos na rua inclusive gaguinho,pixote pet e companhia!!!!

  6. netto - 19/07/2012 - 23:46

    espero que façam o mesmo na chaçará, centro de Niterói proximo a Appae e a uma creche. jovens traficantes armados, bem armas emm plena luz o dia. transformando o local e aprisionando os moradores.

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.